Como será a sua vida e sua audição no futuro?

Acompanhe e reflita!
Com o avançar dos anos, percebemos que o nosso corpo já não responde mais aos mesmos estímulos e comandos. Mesmo tendo uma vida rica em atividades físicas e mentais, não temos o controle de como será o nosso futuro.
O cérebro jovem de hoje não será mais o mesmo em poucos anos, a visão vai aos poucos enfraquecendo, a mente já não lembra todos os detalhes, a mobilidade e habilidade manual passam a ficar mais lentas, o sono já não dura a noite toda, as conversas muitas vezes passam a ser repetitivas e a capacidade auditiva vai sendo afetada aos poucos e quando percebemos, tudo mudou.

Como fonoaudióloga, posso dizer que em poucos anos, sua voz não será a mesma, talvez apresente uma voz mais rouca ou áspera pela modificação de suas pregas vocais, sua deglutição (ato de engolir) pode apresentar alterações, talvez engasgue com os alimentos ou água, seu equilíbrio pode ficar comprometido e seu andar mais difícil, sua leitura pode se tornar mais lenta, sua escrita talvez não seja mais tão perfeita quanto gostaria, e por fim, a sua audição, algo que grande maioria das pessoas não se preocupa em verificar, em fazer exames auditivos, a não ser que tenha algum desconforto, dor, coceira ou zumbido passa a incomodar.

É comum encontrarmos idosos que nunca realizaram uma avaliação auditiva e que buscam ajuda apenas quando a família relata dificuldade em ser compreendida. A audição, assim como todo o nosso corpo, precisa de atenção e cuidado durante a vida.
O excesso de ruído ao que estamos expostos diariamente é cada vez mais preocupante e mesmo quem não tem pré disposição genética pode apresentar capacidade auditiva reduzida já a partir dos 30 a 35 anos. Com o avanço tecnológico dos últimos anos e o aumento do uso de fones de ouvido cada dia mais presente entre crianças e adolescentes, teremos no futuro um grande público adulto e idoso com problemas auditivos.

Já se sabe que o zumbido é sinal de alerta para a audição, porém desconsiderado por grande parte da população. Juntamos a exposição aos ruídos ao longo dos anos e o processo de envelhecimento natural e o resultado é uma capacidade auditiva reduzida com entendimento prejudicado. A famosa frase, “Ouço, mas não entendo”! Por isso, ressaltamos a importância de incluir o exame auditivo na rotina de exames anuais e iniciar o tratamento adequado o mais cedo possível para que o resultado seja satisfatório.

Ao longo dos meus 10 anos de formada trabalhando com adaptação de aparelhos auditivos em adultos e idosos, pude auxiliar, acompanhar e aprender muito sobre não negligenciar os cuidados auditivos ao longo da vida, principalmente quando conhecemos o problema auditivo e deixamos para resolver no futuro. Temos muitos idosos com dificuldade de compreensão mesmo usando aparelhos auditivos, e isso, não é porque o aparelho auditivo é básico ou porque não está programado adequadamente ao seu caso, mas sim, porque ele demorou para buscar ajuda profissional e a compreensão das palavras já está bastante prejudicada, seu cérebro acostumou ao silêncio dos anos, e com isso, já não conseguimos ajudar da forma como gostaríamos.

Quero fazer você pensar, como gostaria de ouvir aos seus 60,70,80 anos… ? E se você é idoso, ou tem algum familiar idoso, como gostaria que ele estivesse ouvindo agora? E ainda por meio dessa reflexão, pense em como agir e como tratar um idoso, seja ele familiar, amigo ou mesmo um desconhecido. Muitos deles vivem isolados, sem ouvir bem, outros não vão te contar que usam aparelhos auditivos, alguns vão concordar contigo mesmo sem saber o que você falou. Portanto trate o com carinho, cuidado e respeito pensando em você no futuro. E se você perceber que esse idoso usa aparelhos auditivos ou está com dificuldade em te entender, procure falar de frente, em seu tom de voz normal, de forma clara e pausadamente, sem gritar ou sussurrar, para que você seja ouvido e compreendido da melhor forma possível.

                                   

Fonoaudióloga, Clari Dumke CRFa 9907
Serviços : Fonasa Aparelhos Auditivos Curitiba – Centro Auditivo
Endereço: R. André de Barros, 226 – Sala 503 – Centro
Telefone: (41) 98846-5454

Post Anterior
Próximo Post

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quatro × 3 =